terça-feira, 16 de setembro de 2008

Sobre 18/08/08

Muitas pessoas me perguntaram como terminou, como foi o desfecho do texto anterior. Bom, na verdade o que me levou a escrever o caso foi exatamente o fato de que eu não sei como foi o fim da palestra, eu não pude ficar!!!! Na verdade eu estava lá para esperar o horário do rodízio. Não que o assunto não me interesse, pelo contrário, mas foi ao acaso que eu presenciei o excitante flerte. E por isso, às 20h00 me levantei e fui embora. Marido e filhos me esperavam... Confesso que fiquei na dúvida, queria ficar, realmente ver o que aconteceria. Depois me passou pela cabeça que eles poderiam ser amantes, e que aquela situação não passava de um jogo de sedução dos dois, o que deixaria a situação mais interessante, não é?!
Sinto que, tanto para mim, quanto para vocês, o que chama atenção nesse caso é a dúvida. Mas aí é que está a graça. Deixem a imaginação fluir. Deixem o tesão aflorar, essa é a idéia da coisa. Saber o final talvez não teria a mesma energia, não desenvolveria a mesma curiosidade. Ás vezes não saber é muito mais libertador do que ter certeza.
Bom, até a próxima.

Um comentário:

c.o ;) disse...

...verdade!!
As vezes era só um charme para conseguir sair com mais coisas valiosas do divórcio...